Menu

HIIT e FAST FOOD, o HIIT pode te ajudar!

Na América do Sul, ninguém gasta mais em fast food do que os brasileiros. De acordo com o levantamento, o gasto com fast food por habitante no Brasil em 2014 foi de 265 reais, e o consumo deve crescer em 30,88% até 2019.

Um grupo de pesquisadores franceses, Duval et al. (2017), realizaram um estudo com o objetivo de avaliar a capacidade do exercício de alta intensidade para contrariar os efeitos deletérios de uma dieta de fast food no perfil cardiometabólico de homens jovens saudáveis. Para isso, 15 homens foram submetidos a uma dieta exclusiva de fast food por 14 dias consecutivos. Todas as refeições para almoço e jantar consistiram de um sanduíche (Big Mac, McChicken ou Quarter Pounder com Cheese), batatas fritas médias e um refrigerante. Quanto ao café da manhã, consistiu em um sanduíche (Egg McMuffin ou Sausage McMuffin), uma pequena bebida de fruta ou café. Além disso, os participantes tiveram a opção de consumir um “bolinho” de sua escolha como lanche (dependendo do apetite).

Quanto ao exercício, os participantes realizaram um protocolo de HIIT na esteira. O HIIT consistiu em 15x 60s (90% da Frequência Cardíaca Máxima) intercalado por 60s de recuperação ativa (caminhada).

E os resultados?

Após o período de intervenção: massa corporal, índice de massa corporal e circunferência da cintura, não apresentaram diferenças estatisticamente significativas, quando comparado ao baseline (período antes da intervenção com exercício). Em contrapartida, o percentual de gordura e a massa gorda diminuíram; a massa magra e o Consumo Máximo de Oxigênio (VO2máx) aumentaram. Quer mais? Glicose em jejum, Colesterol total, “colesterol ruim” (LDL), “colesterol bom” (HDL), Lipoproteína A e Proteína C Reativa (marcador inflamatório), também diminuíram. Curioso né?!

Esse estudo é muito interessante! Ele gera inúmeras interpretações (positivas e negativas). No entanto, devemos nos atentar a importância da prática do exercício físico. E, NÃO é qualquer exercício! ATENÇÃO para o tipo e como esse exercício vai ser realizado. Destaque mais uma vez para a INTENSIDADE. Ao que parece, essa variável vem demonstrando um papel importante no processo de emagrecimento. A minha dica é: evite (quando possível) fast food e dê preferências para exercícios de alta intensidade, seja na musculação e/ou treino aeróbio.

Bom treino a todos!

Referência:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28846611

João Pedro: Graduado em Educação Física / Mestrando em Ciências da Saúde (@navesjp)
Ricardo Viana: Graduado em Educação Física / Doutorando em Ciências da Saúde (@prof.ricardoviana)

João Pedro: Graduado em Educação Física / Mestrando em Ciências da Saúde (@navesjp) Ricardo Viana: Graduado em Educação Física / Doutorando em Ciências da Saúde (@prof.ricardoviana)

No comments

Deixe uma resposta

UserOnline

3 VIDEOS DE GRAÇA

Lhe EnsInarão A Perder Sua Gordura De Forma 100% NATURAL.

SAIBA MAIS