Menu

EPOC Melhor aeróbico para queimar gordura: Alta ou baixa intensidade?

Fisiologicamente, analisando somente os sistemas energéticos, em intensidades baixas a médias há uma prevalência no uso das gorduras como fonte de energia, devido a maior capacidade de utilização do oxigênio para oxidá-las; conforme a intensidade vai subindo esta prevalência vai diminuindo no sentido do uso da glicose aeróbia, seguida da glicose anaeróbia e, por último ATP.

Entretanto, quase analisamos friamente está questão fisiológica, esquecemo-nos de analisar o EPOC (Excess Post Exercise Oxygen Consumed ou Consumo de Oxigênio Pós Exercicio). Em exercícios de baixa intensidade, o EPOC é baixa e pode ter uma duração de até 2 horas para realizar a recuperação do organismo – como nosso metabolismo de repouso é um sistema aeróbio de baixa intensidade, a energia será proveniente da gordura (se considerarmos 90 minutos de exercício + 120 de recuperação –EPOC- teremos 210 minutos ou 3:30 h de consumo de gordura). Nas atividades intensas, acima de 85% de esforço a prevalência de energia será da glicose e creatina fosfato durante o exercício, no entanto, vários estudos têm mostrado EPOC elevado até 6 horas pós atividade, ou seja, o dobro da soma da prática de exercício + EPOC em baixa intensidade. Assim, apesar de não utilizarmos a gordura durante o exercícios, proporcionamos um ambiente corporal pós exercício muito bom para queima da gordura.

Esse ambiente poderia incluir o ciclo de Krebs com:
1) maior utilização de ácidos graxos livres;
2) efeitos hormonais do cortisol, insulina, ACTH, da tireóide e GH;
3) ressíntese de hemoglobina e mioglobina;
4) aumento da atividade simpática;
5) aumento da respiração mitocondrial pelo aumento da concentração de norepinefrina;
6) ressíntese de glicogênio;
7) aumento da temperatura.

Em consequência, seguindo um estudo feito por Wirth apud Bronstein (1996) nesse contexto após a atividade física, a incorporação de ácidos graxos no tecido adiposo e sua estratificação para triaciglicerol diminuem, ocorrendo um aumento na concentração plasmática de ácidos graxos livres e aumentando, portanto, a sua oxidação. Quer dizer, o principal substrato energético utilizado nesse momento são os lipídeos.

Tendo explicado o fenômeno do EPOC, vamos analisar ainda os números específicos dos exercícios aeróbicos sejam de alta ou baixa intensidade: No exercício aeróbio de baixa intensidade há uma porcentagem de utilização de gordura (50%) igual ao de carboidrato (50%), mas o gasto calórico total é de 220 calorias (110 carbo + 110 gordura) em 30 minutos. Já no exercício de alta intensidade a porcentagem de gordura utilizada diminui para 33% e a de carboidratos aumento para 67%, mas vamos notar que o gasto calórico total é de 332 calorias (222 carbo + 110 gordura) nos mesmos 30 minutos e a quantidade de gordura utilizada é igual à do exercício de baixa intensidade. Portanto, não nos preocupemos apenas com a porcentagem do uso de substratos durante o exercício, mas com a quantidade de cada um deles e o gasto calórico total.

No comments

Deixe uma resposta

UserOnline

SAIBA MAIS