Menu

CRUCIFIXO NO APARELHO

Existem dois tipos de exercícios: multiarticulares e os uniarticulares. Em relação ao primeiro tipo, ele trabalha vários grupamentos musculares em um único movimento. Já em relação ao segundo tipo de exercício, ele trabalha um único músculo durante o movimento. E, nesse post, iremos abordar um exemplo de exercício uniarticular: o crucifixo!

O exercício crucifixo no aparelho (Figura do Post) ativa os músculos adutores horizontais do ombro (parte clavicular do m. peitoral maior, parte esternocostal do m. peitoral maior, cabeça curta do m. bíceps braquial, m. coracobraquial, parte clavicular do m. deltoide e o m. subescapular). Entretanto, devido a uma ação isométrica na flexão do cotovelo, são ativados os músculos flexores do cotovelo (m. bíceps braquial, m. braquial e m. braquiorradial) (MOORE; DALLEY, 2011).

Vale ressaltar que alguns aparelhos possuem um encosto para o cotovelo (Figura abaixo) o que pode diminuir a ativação dos músculos flexores do cotovelo, caso esta seja a intenção (LIMA; PINTO, 2006).

Um erro comum na realização desse exercício é deixar o banco muito baixo ou muito alto. Portanto, lembre-se que durante a execução do exercício o seu braço deve estar ligeiramente abaixo ou no mesmo alinhamento da sua articulação do ombro.

Quais as variações desse exercício? Além da possibilidade de realizar na máquina (conforme a imagem do post), pode-se realizar com halteres e na polia. Existe alguma diferença entre essas variações? Mínimas. Uma vez que, quando utilizamos pesos livres, temos uma maior ativação de musculatura sinergista para que o movimento saia com perfeição ou como pelo menos deveria ser realizado.

Ah, já ouvi falar sobre o crucifixo inverso… Bom esse é um outro exercício. O que estamos falando nesse post, trabalha mais peitoral. Já o inverso, dorsal. Esse será tema para um post futuro.

Bons treinos e boas prescrições!

Achou interessante e quer ter acesso a mais conteúdos formativos e informativos?

Fique de olho na próxima postagem!

 

Referências:

LIMA, C.S.; PINTO, R.S. Cinesiologia e musculação. Porto Alegre: Artmed, 2006.

MOORE, K.L.; DALLEY, A.F. Anatomia orientada para a clínica. 6.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

João Pedro: Graduado em Educação Física / Mestrando em Ciências da Saúde (@navesjp)
Ricardo Viana: Graduado em Educação Física / Doutorando em Ciências da Saúde (@prof.ricardoviana)

João Pedro: Graduado em Educação Física / Mestrando em Ciências da Saúde (@navesjp) Ricardo Viana: Graduado em Educação Física / Doutorando em Ciências da Saúde (@prof.ricardoviana)

No comments

Deixe uma resposta

UserOnline

SAIBA MAIS