Menu

Como prescrever TREINOS para alunos AVANÇADOS?

Como deve ser realizada a prescrição de treinos para avançados? Quais variáveis devo considerar? Avançado deve chegar até a falha? Avançado deve treinar com pesos livres? Essas são algumas perguntas que devem ser respondidas para aquelas pessoas que estão passando por um momento de transição, saindo da “categoria” intermediário e se tornando avançado.
Primeiramente, não deve ser analisada somente a quantidade de tempo que ele treina ou a carga utilizada nos exercícios. Deve-se verificar se houve assiduidade, se há execução correta dos exercícios, se o aluno treina com intensidades adequadas, se realiza treinos máximos e se há condições psicológicas para superar intensidades elevadas, dentre outros fatores.
Quanto ao volume de treino, o volume total recomendado é de, no máximo, 24 séries por dia. Recomenda-se de três a seis séries por grupamento muscular, com limite recomendável de oito. Quando se treina um aluno avançado, a abordagem qualitativa deve ser aplicada com primor. O acréscimo de exercícios deve ter um limite, nesse momento é essencial conhecer e manipular as alterações fisiológicas desejadas para conseguir ganhos mais significativos.
Recomenda-se uma frequência de 4-6 vezes por semana, utilizando uma divisão do treino por partes, uma vez que a intensidade será alta, o indivíduo necessitará de um período de recuperação maior. No entanto, com a adoção da visão de cadeias musculares envolvidas nos exercícios, surge a necessidade de repensar a divisão dos treinos, pois não seria viável separar músculos que trabalham juntos nas cadeias musculares. Além disso, uso de repetições máximas, levando o indivíduo até a falha concêntrica, e, utilizar métodos de estresse tensional e metabólico (ex: drop set, rest-pause, repetições forçadas, entre outros.)
Por último, não menos importante, conscientizar o aluno acerca da importância de controlar a intensidade, bem como o uso de repetições máximas.
Obs: Essas recomendações não se aplicam de maneira direta aos fisiculturistas, uma vez que, eles(as) possuem metodologias diferentes de treino visando suas competições.
Bom treino e ótimas prescrições!

Referência:
Gentil P. Bases científicas do treinamento de hipertrofia. 5a edição. (Create Space (ed.).). Charleston; 2014.

João Pedro: Graduado em Educação Física / Mestrando em Ciências da Saúde (@navesjp)
Ricardo Viana: Graduado em Educação Física / Doutorando em Ciências da Saúde (@prof.ricardoviana)

João Pedro: Graduado em Educação Física / Mestrando em Ciências da Saúde (@navesjp) Ricardo Viana: Graduado em Educação Física / Doutorando em Ciências da Saúde (@prof.ricardoviana)

No comments

Deixe uma resposta

UserOnline

SAIBA MAIS