Menu

Academia de ginástica: qual é o seu objetivo?

Aproximadamente 23% do total da população brasileira maior de 18 anos praticam os níveis recomendados de atividade física durante os momentos de lazer.  Esses níveis recomendados de atividade física têm sido apontados como um dos fatores promotores da saúde dos indivíduos e de prevenção de algumas situações de risco a doenças. Além da saúde, essa prática também pode ser motivada pela procura por um corpo esteticamente belo.

Atrelado à busca pela saúde e por um corpo esteticamente belo, geralmente padronizado pelos grandes meios de comunicação, como por exemplo a televisão, internet, jornais, revistas, entre outros, surge as academias de ginásticas, também conhecidas como ginásios. Nestes locais, geralmente são ofertadas atividades de ginástica (aula de abdominal, step, jump, ritmos/dança, Zumba®), musculação, hidroginástica, natação para adultos/crianças, ciclismo, entre outras práticas corporais.

Na tentativa de conhecer quais as práticas que as pessoas mais realizam, pesquisadores ao redor de todo o mundo buscam coletar informações dos praticantes. Quer ajudar nessa “missão”? Deixei nos comentários uma frase falando qual o seu principal objetivo com a prática de atividade/exercício físico e onde você costuma realiza-la!

 

Referências:

BAPTISTA, T.J.R. Procurando o lado escuro da lua: implicações sociais da prática de atividades corporais realizadas por adultos em academias de ginástica de Goiânia. 2001. 200f. Trabalho apresentado como exigência parcial do Mestrado em Educação Brasileira da Universidade Federal de Goiás, para a obtenção do Título de Mestre em Educação Brasileira. Goiânia (GO), 2001.

CALLIARI, I.C.R.R. Saúde x estética: objetivos da prática da ginástica de academia em municípios do interior dos estados do Paraná e Santa Catarina, Brasil. Revista UNIANDRADE. Curitiba, v.15, n.3, p.219-30, 2014.

FURTADO, R.P. Novas tecnologias e novas formas de organização do trabalho do professor nas academias de ginástica. Pensar a Prática. Goiânia, v.10(2), p.307-322, Jul./Dez. 2007.

HANSEN, R.; VAZ, A.F. Treino, culto e embelezamento do corpo: um estudo em academias de ginástica e musculação. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Campinas, v.26, n.1, p.135-52, 2004.

IBGE. Pesquisa nacional de saúde 2013. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/pns/2013/default_xls.shtm>. Acesso em: 02 fev. 2016.

MARCELLINO, N.C. Academias de ginástica como opção de lazer. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Brasília, v.11, n.2, p49-54, jun. 2003.

MIRAGAYA, A. Promoção da saúde através da atividade física. In: DA COSTA, L. Atlas do esporte no Brasil: atlas do esporte, educação física e atividades físicas de saúde e lazer no Brasil. Rio de Janeiro: CONFEF, p.16-28, 2016.

Schmidt, M.I. et al. Chronic non-communicable diseases in Brazil: burden and current challenges. Lancet. v.377, n.9781, p.1949-61, jun. 2011.

SILVA, P.V.C.; JUNIOR, A.L.C. Efeitos da atividade física para a saúde de crianças e adolescentes. Psicologia Argumento, v.29, n.64, p.41-50, jan./mar. 2011.

João Pedro: Graduado em Educação Física / Mestrando em Ciências da Saúde (@navesjp)
Ricardo Viana: Graduado em Educação Física / Doutorando em Ciências da Saúde (@prof.ricardoviana)

João Pedro: Graduado em Educação Física / Mestrando em Ciências da Saúde (@navesjp) Ricardo Viana: Graduado em Educação Física / Doutorando em Ciências da Saúde (@prof.ricardoviana)

No comments

Deixe uma resposta

UserOnline

SAIBA MAIS