Menu

Princípio da individualidade biológica

Cada indivíduo é um ser único e responde de forma diferente às cargas impostas pelo treinamento físico, logo, para maximizar efeitos do treinamento e dar continuidade ao progresso, as cargas de treino devem ser ajustadas sistematicamente, mediante as respostas morfofuncionais apresentadas após determinada combinação de estímulos (Andrade e De Lira, 2016).

No entanto, não devemos deturpar o princípio da individualidade sugerindo que há total imprevisibilidade de comportamento em respostas aos mesmos estímulos. Deve-se ter em mente que a existência de individualidade não significa que dois seres humanos tenham adaptações totalmente divergentes aos mesmos estímulos, mas sim que a quantificação destas respostas não pode ser extrapolada (Gentil et al., 2014).

Quando da elaboração de um treino, o treinador deve ter conhecimento das tendências de comportamento geral dos sistemas e obter informações específicas pelo método científico, devendo usar o princípio da individualidade para orientar a intervenção para a realidade específica, sem esperar que a resposta seja igual entre todas as pessoas. A tentativa de imitar programas de treinamento feitos por outras pessoas normalmente se mostra infrutífera porque apenas as ideias gerais devem ser aproveitadas, e não todo protocolo de treinamento.

Logo, o princípio da individualidade nos transmite a importância em individualizar o treinamento, sugerindo que fazer o mesmo treino de uma pessoa que apresenta comportamento diferente ao seu, não, necessariamente, resultará nos mesmos resultados por ela obtidos. Cabe ao profissional responsável pela montagem do treino, respeitar os princípios e prescrever para a realidade do indivíduo. Cabe a você, leitor, simpatizante da prática regular de exercícios físicos, entender que você deve realizar aquele treino que lhe foi proposto e evitar o uso de treino gerais disponibilizados na internet.

Bom treino a todos!

Referência:

ANDRADE, M.S; DE LIRA, C.A.B. Fisiologia do Exercício. 1ª ed. Manole. São Paulo. 2016

Gentil P. Bases científicas do treinamento de hipertrofia. 5a edição. (Create Space (ed.).). Charleston; 2014.

João Pedro: Graduado em Educação Física / Mestrando em Ciências da Saúde (@navesjp)
Ricardo Viana: Graduado em Educação Física / Doutorando em Ciências da Saúde (@prof.ricardoviana)

João Pedro: Graduado em Educação Física / Mestrando em Ciências da Saúde (@navesjp) Ricardo Viana: Graduado em Educação Física / Doutorando em Ciências da Saúde (@prof.ricardoviana)

No comments

Deixe uma resposta

UserOnline

SAIBA MAIS